Cefaleia por hipertensão intracraniana idiopática

Cefaleia por hipertensão intracraniana idiopática é também conhecida como pseudotumor cerebral

A hipertensão intracraniana idiopática causa uma dor de cabeça ocasionada por aumento da pressão dentro do cérebro. Não há nenhuma relação com pressão arterial alta e ausência de tumores ou massas cerebrais. O líquor (líquido produzido pelo cérebro) é renovado a cada 8 horas. Por algum motivo desconhecido, o cérebro não consegue drenar todo o líquido que ele mesmo produz. Pacientes obesos ou que ganharam peso recentemente têm mais chance de desenvolver esse tipo de cefaleia. Suspeita-se que o sistema venoso responsável em drenar esse líquor esteja discretamente obstruído. Uso de doses excessivas de vitamina A ou até mesmo medicamentos rotineiramente usados para trartamento de espinhas (Roacutan) podem levar ao aumento da pressão intracraniana.

Os sintomas são dor de cabeça holocraniana, ou seja, na cabeça toda. Os sintomas têm início agudo ou subagudo e de caráter progressivo. Muitas vezes necessita visitas ao pronto-socorro e internação. A característica mais marcante dessa cefaleia é a diminuição progressiva da capacidade visual. Um dos primeiros locais que sofrem com o aumento da pressão intracraniana é a bainha do nervo óptico.

O diagnóstico pode ser desafiador, pois uma tomografia de crânio simples não mostra o problema na maioria dos casos. Uma ressonância magnética do crânio pode revelar o quadro. Observa-se tortuosidade e edema na bainha de mielina dos dos nervos ópticos. Outro local que acumula líquor é na sela túrcica. Ela é ocupada normalmente pela hipófise, ocorrendo do sinal da “sela túrcica vazia”. Clinicamente já é possível suspeitar da hipertensão intracraniana durante o exame físico. A análise do fundo de olho pode mostrar borramento das papilas ópticas.

Diagnóstico e tratamento
O diagnóstico definitivo é feito através da punção lombar com raquimanometria. É um procedimento relativamente simples, com o paciente deitado de lado. O médico punciona o líquor através da coluna lombar e nesse momento mede a pressão liquórica. Utiliza um aparelho parecido com o aparelho de medir a pressão arterial. Caso a medida mostre um valor acima dos níveis normais, o diagnóstico está feito e a retirada de um volume de 30 mL pode ser suficiente para dar alívio na dor de cabeça.

O tratamento da hipertensão intracraniana de alívio é feito com medicamento específico para diminuir a produção do líquor (acetazolamida). Caso não seja suficiente pode ser necessário uma cirurgia com implante de dreno a nível da coluna ou a nível cerebral para retirar o excesso do líquor. A perda de peso é considerada curativa em diversos casos.

Compartilhe este artigo, Escolha a plataforma!